Preencha os campos abaixo para submeter seu pedido de música:

PF deflagra operação contra crimes de desvios de verbas federais da Saúde e Educação - NOVA FM 93.1 - A Rádio de Verdade!


No comando: CLUBE DA INSÔNIA

Das 00:00 às 06:00

No comando: PE REGINALDO MANZOTTI

Das 05:55 às 06:05

No comando: PE REGINALDO MANZOTTI

Das 07:00 às 08:00

No comando: OSVALDO E ANDREZZA

Das 07:00 às 09:00

No comando: ANDREZZA CERVEIRA

Das 07:00 às 09:59

No comando: JOTA A

Das 08:00 às 12:00

No comando: SILVANA LOBATO

Das 09:00 às 12:00

No comando: SILVANA LOBATO

Das 10:00 às 12:00

No comando: NILO GOMES

Das 12:00 às 14:00

No comando: THE PAUL

Das 12:00 às 15:00

No comando: THE PAUL

Das 12:00 às 15:00

No comando: JOTA A

Das 14:00 às 15:59

No comando: PAULINHA LOBÃO

Das 16:00 às 18:00

No comando: WALTER JÚNIOR

Das 22:00 às 23:59

PF deflagra operação contra crimes de desvios de verbas federais da Saúde e Educação

A Polícia Federal deflagrou hoje na capital maranhense e nas cidades de Pinheiro e Palmeirândia uma operação com a finalidade de desarticular organização criminosa estruturada para promover fraudes licitatórias, desvio de recursos públicos e lavagem de dinheiro no âmbito do Município de Pinheiro. De acordo com as investigações, o crime praticado envolve verbas federais do Fundo Nacional de Saúde e do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica. Foram analisados pregões de 2018 e 2020 que custaram cerca de R$ 38 milhões aos cofres públicos, e deram origem a contratos firmados com empresas pertencentes aos membros da organização criminosa. Foram localizados diversos indícios no sentido de que o proprietário de fato dessas empresas seria o gestor público municipal, o que se confirmou por meio da análise das movimentações bancárias. Foi constatado que parte dos pagamentos realizados pelo Poder Público para tais empresas era revertido para as contas do servidor público. Onze mandados de busca e apreensão foram cumpridos, assim como dez mandados de sequestro de valores, além de ordens de suspensão do exercício da função pública, proibições de acessar ou frequentar a prefeitura, de manter contato com os outros investigados e de ausentar-se da comarca de sua residência durante a investigação. Se confirmadas as suspeitas, os investigados poderão responder por fraude à licitação, peculato, lavagem de capitais e integrar organização criminosa. Somadas, as penas podem chegar a 34 anos de prisão. A denominação “Irmandade” faz referência à composição da organização criminosa, que possui, tanto no núcleo político, quanto no núcleo empresarial, irmãos participantes do estratagema criminoso.

Deixe seu comentário: